O MAAT, Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, em Lisboa, abriu as portas à apresentação da nova grelha da RTP e encheu-se de caras do entretenimento e da informação para dar as boas-vindas à nova temporada, sob o mote “Estação Aberta”.

A apresentação ficou a cargo de Eduardo Madeira e Inês Lopes Gonçalves, que revelaram novidade a novidade. Gonçalo Reis deu o pontapé de saída:

“A diversidade é uma marca nossa. Queremos ser uma estação aberta à criatividade, ao talento nacional. A RTP hoje tem capacidade de atrair talento superior à de anos anteriores e o seu papel é ser uma plataforma aberta”.

O presidente do Conselho de Administração adiantou que distribuir e comercializar internacionalmente os conteúdos também passa pelos objetivos futuros do canal público.

 

As séries mantêm protagonismo na grelha da estação pública:

“Foi a primeira aposta que fizemos. Havia uma lacuna em Portugal: a não existência regular de séries. Cabia à RTP, até do ponto de vista cultural, fazer alguma coisa. E, por isso, a RTP, no seu conjunto, foi emissora e coprodutora de 17 séries desde janeiro de 2016. Isto significa que alguma coisa está a mexer na produção audiovisual”, explica Nuno Artur Silva, da Administração da RTP.

 

Os documentários são uma segunda aposta estrutural:

“Começámos à procura de documentários em vários países e a RTP voltou a marcar presença em festivais de documentários. O caminho que apostámos seguir nas séries é direcionado agora para os documentários, sempre na aposta da diversidade”, continuou Nuno Artur Silva.

 

A noite de segunda-feira na RTP1 fica reservada a documentários de grandes temas, mas também a RTP3 dá lugar ao género nobre com documentários de temas ligados à atualidade. Outra das novidades é a criação de biografias em documentário, como as de Natália Correia, Raúl Brandão, Rosa Mota, Eduardo Pinto Coelho, entre outros, com a chancela da RTP.

A música não fica fora das apostas e será outra das linhas estruturais a seguir em 2018. É o caso do Festival da Canção e da Eurovisão que chegam no próximo ano.

 

Hello peoples, everybody else?

Uma das personagens mais famosas do instagram, a “bicha festivaleira“, também teve lugar nesta apresentação, para gozo de todos os presentes.

 

 

Novidades no entretenimento:

 

  • Os sábados das próximas 8 semanas estão a cargo do mágico Luís de Matos, que vai fazer acontecer o Impossível em direto na televisão.
  • O The Voice Portugal, por sua vez, está de regresso já a partir de dia 10 de setembro, para fazer valer o talento nacional no mundo da música.
  • Também de volta está o programa dedicado a mostrar pessoas com capacidades acima da média, pela mão de Sílvia Alberto, com Os Extraordinários.
  • Sónia Araújo traz à televisão Cosido à Mão, com o objetivo de conhecer a melhor costureira ou o melhor alfaiate do país.
  • E, porque em equipa vencedora não se mexe, O Preço Certo continuará em grelha com novo cenário e uma nova assistente.
  • Nas noites de quinta-feira mantém-se o programa 5 para a Meia Noite, que regressa a 14 de setembro.

Daniel Deusdado, diretor da RTP1, assume: “Nós temos âncoras no entretenimento que nos dão tranquilidade e satisfação. Sentimos que há uma relevância em relação àquilo que fazemos, que tem a ver com o facto de a RTP projetar os acontecimentos e projetar as tendências”.


A aposta da RTP na nova grelha alarga-se igualmente à informação:

 

E, naturalmente, ao desporto:

 

A nova temporada regressa em força no que à ficção nacional diz respeito:

  • 1986“, da autoria de Nuno Markl, estreia em novembro.
  • A Criação” chega à televisão a 19 de setembro.
  • O primeiro episódio de “País Irmão” poderá ser visto a 11 de setembro.
  • 4Play” estreia a 28 de setembro, na RTP2, que este ano faz, a par com a RTP1, uma grande aposta na ficção.


Na ficção internacional:
  • Happy Valley” estreia a 15 de setembro.
  • A segunda temporada de “Vitória” chega brevemente.
  • Gerente da Noite” já está no ar na RTP2.

 

 

Tudo a postos para uma temporada recheada de estreias na televisão, mas sem esquecer a área digital. Os conteúdos continuarão a ficar disponíveis online, para serem vistos e revistos, através do RTP Play.

Fotografias de @PedroPina.

Relacionados