A RTP, enquanto serviço público de media, procura estimular a criatividade e a inovação. E, por isso, de forma pioneira, criou o RTP Lab, um laboratório criativo e experimental, com novas formas de produção de conteúdos, pensadas numa lógica multiplataformas.

Assim, foi feita uma consulta de conteúdos, dirigida a todo o público, na procura de géneros de ficção e humor que utilizem novas formas de narrativa em ambientes exclusivamente digitais. Depois da candidatura de vários projetos, a RTP escolheu quatro que nascem e vivem unicamente no meio digital.

Foram selecionados projetos que integrem interação com o conteúdo na forma como a história é contada ou distribuída e que sejam totalmente desenvolvidos num ambiente digital” – João Pedro Galveias, Direção de Multimédia da RTP.

 

Projetos escolhidos em 2017: 

 

AMNÉSIA:
Um thriller policial vertiginoso – Disponível na RTP PlayYouTube e Instagram

Amnésia é um thriller policial que conta a história de Joana Almeida (Ana Vilela da Costa), uma jovem blogger de sucesso que, na manhã da publicação do seu primeiro romance enquanto autora, acorda com o seu namorado, Carlos (Nuno Janeiro), morto a seu lado.

A beActive, que sempre apostou na inovação, não podia deixar de se associar a esta iniciativa e, por isso, desenvolveu a AMNÉSIA, uma experiência interativa que cruza uma história linear com as novas funcionalidades das redes sociais, nomeadamente o Instagram. Pela primeira vez vamos contar uma história em que algumas cenas irão desaparecer ao fim de 24 horas“. – Nuno Bernardo, beActive Entertainment.

 

#CASADOCAIS:
Cinco amigos peculiares – Disponível na RTP Play e no YouTube

Ema vem para Lisboa e partilha casa com quatro amigos excêntricos. Histórias sem tabus sobre o que é ser jovem no novo milénio (o sexo, o álcool, as drogas, as festas, a busca de emprego e o amadurecimento).

A Casa do Cais é o materializar do sonho de produzir uma série de comédia com que a nossa geração se consiga identificar. É fantástico ter a oportunidade de mostrar realidades e mentalidades diferentes, assim como a aventura que é ser jovem hoje me dia, numa linguagem atual, crua e cómica“. – Peperan.

 

SUBSOLO:
Uma geração à procura numa Lisboa marginal – Disponível na RTP Play e no YouTube

Um grupo de jovens com que raramente nos cruzaríamos contam a sua história de sobrevivência numa cidade de sombras e escuridão.

O SUBSOLO surgiu de uma ideia do coletivo VIDEOLOTION que, depois de apresentada à RTP, passou de uma série de ficção de 10 episódios a uma websérie de 5 episódios, com o objetivo de fazer ficção de qualidade cinematográfica num formato a que esta característica não é comum. O interesse em realizar o SUBSOLO nasce da vontade de mostrar um retrato de uma geração, num formato de guerrilha mas que vinga pela particularidade do conteúdo“. – Joana Peralta, VideoLotion.

 

APPAIXONADOS:
Comédia romântica interativa onde o público faz de cupido – Disponível na RTP PlayYoutube APP móvel

Ana Real, 32 anos, está solteira há três e decide procurar o amor na internet. Regista-se numa aplicação, onde os utilizadores fazem de casamenteiro e votam no blind date que querem ver na semana seguinte.

No Appaixonados, o espetador pode escolher quem vão ser os próximos encontros da Ana. A direção da narrativa é escolhida por todos e a equipa de escrita vai ter de adaptar-se de semana a semana. A App dos Appaixonados vai permitir a qualquer pessoa participar na escrita da série e decidir o destino romântico da Ana“. – Guilherme Trindade, Ankylosaur

 

Projetos escolhidos em 2018:

 

 

FRÁGIL:
Maria Miguel, Sofia e Francisca e começam a idade adulta e procuram encontrar-se, resolver os problemas clássicos dos millenials e, pelo meio, aprender a ultrapassar as suas mágoas mais profundas ajudando-se umas às outras.

A série passa-se entre Lisboa e uma quinta no Norte onde estas três mulheres nos 20’s vão tentar fazer um filme juntas e tomar controlo da sua vida. Se conseguem ou não, iremos ver.

Ao longo da série vemos estas personagens sofrer, a ultrapassar os seus medos e aprender lições sobre a vida com a ajuda umas das outras. Esta comédia ataca as pequenas tragédias da vida.” Filipa Mendonça Amaro

 

ON C@LL:
Suzana (24) e Tiago (24) nunca se viram. Mesmo que se conhecessem, não seriam, de todo, amigos. É que ele é um Software Engineer extremamente letrado e tímido… e ela só quer ser perfeita e famosa na internet. Mas os dois têm o mesmo problema: estão apaixonados por pessoas que não podem ter.

Os adolescentes e jovens adultos, dependentes das novas tecnologias e alheados da realidade, dividem-se cada vez mais em dois tipos: os que vivem na necessidade visceral de serem expansivos para fazerem notar a sua superficialidade; e os que se refugiam no silêncio dos ecrãs e têm problemas em expressar-se. Esta série aborda as vidas de dois personagens aparentemente caricaturais, servindo de crítica aos dois tipos de jovens, ao mesmo tempo que defende que quanto mais expusermos os nossos sentimentos e nos ajudarmos uns aos outros, mais nos vamos descobrir a nós próprios, podendo, inclusive, abrir as portas do verdadeiro amor.” Rúben Gomes

 

BAD & BREAKFAST:
Bad & Breakfast é o nome da companhia de Airbnb‘s gerida por Mr. Pauls que, além das casas que tem para alugar a turistas, conduz o negócio de família de duas gerações – a tasca situada em Alfama chamada “O Sabor de Lisboa”. Esta tasca tem uma particularidade: A sua especialidade, Pica Pau à Lisboeta, que consiste numa base de legumes guarnecida com pedaços cúbicos de carne de turista, salteada em alho e coentros…

Lenita (Carolina Torres) e Susana (Ana Valentim) trabalham para Mr. Pauls (Isac Graça) a limpar casas, mas acabam por fazer mais que isso: ao terem contacto com os turistas (maioritariamente do sexo masculino), elas seduzem-nos para uma noite de festa onde, a certo ponto, lhes dão um chupa-chupa que os faz adormecer que nem anjinhos. Quando os turistas, levados ao engano, estão a dormir, elas procedem à instalação de um chip colocado por trás da orelha direita da vítima, um chip chamado ‘Libelinha Roxa’. O chip permite que os turistas fiquem controláveis por uma app, não comercializada, chamada “rent-a-tourist”. Mr. Pauls utiliza depois esta app para encaminhar esses mesmos turistas para o seu matadouro, onde são transformados em produtos variados de carne, consoante a nacionalidade.

 

MENOS UM:
Alex é teclista, mais um que tenta começar a sua carreira musical na cidade de Lisboa.

Ambientes de fumo e copos meios-cheios são a sua forma de pensar. Renda em atraso e concertos mal pagos o seu modo de vida… Será que os sonhos devem morrer? Ou esta é a história que vai ressuscitar as músicas de heróis caídos? Para saber é só descer um andar.

É no Menos Um, o concerto já está a começar.