Gonçalo Reis e Marcelo Rebelo de Sousa

Em 1970, e em colaboração com a “Editorial Verbo”, a RTP lançava ao mundo uma coleção de Livros de Bolso, “Biblioteca Básica Verbo – Livros RTP”. Um conjunto de livros com o apoio RTP que representava uma ideia completamente inovadora no mercado cultural português.

Hoje, na mítica livraria Buchholz, em Lisboa, e agora com a Editora LeYa como aliada, assistiu-se ao renascimento da “Coleção Essencial – Livros RTP”.

Os autores mudaram, as capas também e a forma como se divulgam ainda mais. Mas o conceitos mantém-se: Livros RTP é sinónimo de boa literatura a baixos preços.

Gonçalo Reis, Presidente do Conselho de Administração da RTP, mostrou-se orgulhoso com o relançamento de uma iniciativa que “divulga as artes e a cultura”.

E por que retomou a RTP a coleção de Livros RTP? Gonçalo Reis explicou:

“Temos uma visão ampla da missão de serviço público e de que a RTP deve ser um agente ativo de divulgação da língua e da cultura portuguesas.”

Na apresentação esteve também presente o novo ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, e o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se divertido e orgulhoso que a estação público, em associação com a editora LeYa, tenha visto este projeto como fundamental.

Fechou o seu discurso com a ideia de que a RTP tem um papel preponderante na promoção de valores culturais.

“Não só o serviço público é possível como a Galáxia de Gutenberg está viva.”

O primeiro título lançado é “Ensaio sobre a Cegueira”. Na mesma Coleção, estão mais 24 livros, de autores como Mário Vargas Llosa, Mia Couto, Thomas Mann, entre outros, lançados mensalmente, sempre ao preço de 10€.

A curadoria da coleção é de Zeferino Coelho, um dos mais relevantes editores do mundo de língua portuguesa, editor da Caminho, integrada na LeYa.

As capas da “Coleção Essencial – Livros RTP” foram criadas por Rui Garrido, direto de arte da LeYa.

Texto: Inês Espojeira
Fotografia: Pedro Pina