Destaques

OPA – Oficina Portátil das Artes arranca em junho

A OPA – Oficina Portátil de Artes é um projecto artístico, que traz jovens da periferia ao centro da cidade sobre o pretexto da música, nomeadamente, a sua criação. Tem como objectivo potenciar novas formas de cruzamento entre a pedagogia e a criação artística com uma forte componente social. Este projeto já conta com mais de dez anos e regressa em junho de 2020 em formato digital.

Esta nova edição conta com concertos de Warm Up, Open Call direcionada aos novos talentos e um novo website que reúne todas as novidades desta edição.

Nos últimos anos, a OPA tem trabalhado com centenas de jovens de diversas origens e bairros da Área Metropolitana de Lisboa. Através de workshops dirigidos por profissionais da indústria musical portuguesa, são dadas ferramentas técnicas e artísticas que permitem uma evolução acompanhada e, ao mesmo tempo, um lugar em palcos centrais da cidade. No fundo, garante-se a formação artística de novos talentos através de um acesso a inúmeras ferramentas e profissionais que os prepararam para um futuro mais promissor na área que apaixona os participantes de todas as edições: a música.

OPEN CALL

A partir do dia 2 de junho inicia-se o processo de candidaturas / Open Call direcionado a jovens talentos dentro do Hip Hop que pretendam integrar a edição de 2020. O formulário para Open Call encontra-se disponível, a partir dessa data, no website OPA e decorre até dia 22 de junho.

Os selecionados nesta primeira fase, têm acesso a formação musical através de workshops com Francisco Rebelo (Orelha Negra, Fogo Fogo), o saxofonista de jazz Carlos Martins e outros convidados a definir (artistas do universo do Hip Hop português) durante o mês de julho.

No início de agosto, após todo o processo de seleção e formação, os jovens talentos que participam da OPA 2020 terão a oportunidade de mostrar o seu talento, pela primeira vez, ao vivo numa sala de espetáculos, com transmissão em direto através das plataformas digitais OPA e parceiros.

WARM UP

Ainda durante o mês de junho e em jeito de ilustração do caminho que a OPA tem percorrido ao longo dos anos, desde a sua origem, decorrem sessões de Warm Up, também em formato digital. Estas sessões contam com a participação de alguns dos artistas que tiveram oportunidade de viver e experienciar todo o processo em edições anteriores, como La Familia Gitana, SXR, Máry M, Mynda Guevara e DJ Kope.

Todas as sessões de Warm Up marcam, também, o regresso de Estraca à OPA – Oficina Portátil das Artes. Estraca participou, pela primeira vez, numa edição OPA em 2009 quando tinha apenas 12 anos e uma vontade enorme de dar asas ao seu sonho associado à música. Depois da sua passagem pela OPA, a sua carreira tem crescido e tido enorme destaque na cena hip hop nacional.

As atuações do Warm Up acontecem nos dias 6 e 7 – 13 e 14 de junho, todas com transmissão em direto a partir do Instagram OPA. Estes concertos além de serem transmitidos de forma digital, acontecem em estúdios de música e espaços ligados à criatividade artística em Lisboa, como Espaço Take.it, Estúdios Namouche, Auditório World Academy e Estúdios Lisbon Sound Society.