• Poder Soul

    25 janeiro 2021 – 29 janeiro 2021

    Segunda-feira

    Willie Mae (Big Mama) Thornton

    Tom cat

    Sotoplay

    Filha de um pastor Baptista e de uma cantora Gospel, Willie Mae Thornton, nasceu em Ariton, uma zona rural nos arredores de Montgomery, no Alabama, em 1926.

    Tal como os seus seis irmãos, começou a cantar ainda criança, na Igreja, mas acabaria por se tornar numa das grandes lendas dos Rhythm + Blues e numa pioneira do Rock’n’Roll, ao gravar a primeira versão de “Hound dog”, canção de Leiber + Stoller que seria imortalizada por Elvis Presley, e ao escrever “Ball’n’Chain”, perpetuada na voz de Janis Joplin.

    Reagindo à morte da sua mãe, saiu de casa na adolescência para se juntar à troupe da Georgia – Hot Harlem Revue – e, iniciou o seu percurso, em nome próprio, depois de se mudar para Houston, em 1948, onde assinou contrato com a Peacock Records, três anos mais tarde.

    Nas três décadas que se seguiram, a carismática cantora e compositora, que se fixaria na Baía de San Francisco, gravou perto de uma dezena e meia de Lps e o dobro dos singles, para marcas como a Duke, a Bay-Tone, a Kent, a Galaxy, a Carolyn, a Arthoolie, a Mercury ou a Vanguard, para além de ter colaborado com gigantes como Buddy Guy, Muddy Waters, B.B. King, John Lee Hooker ou Lightnin’ Hopkins.

    Gravado em 65, para a Sotoplay – “Tom cat” – é, para mim, uma das suas maiores contribuições para as pistas de dança.

    Uma explosiva canção que é um retrato perfeito da sua poderosa e profunda voz, sintetiza, na perfeição, as raízes comuns dos Rhythm + Blues, do Rock’n’Roll e da Soul, leva ao delírio qualquer pista de dança e se transformou num autêntico hino, em vários quadrantes da cena retro.

     

    ▶️ OUVIR

  • Poder Soul

    25 janeiro 2021 – 29 janeiro 2021

    Terça-feira

    Dickie (Sweet Sugar) Wonder

    Nobody knows

    Golden Triangle

    Dickie Wonder nasceu Richard L. Jackson, em Richmond, na Virgínia, em 1944.

    Depois de se graduar, o cantor decidiu tentar a sua sorte no mundo do entertenimento, ao lado de Tyrone Thomas, mas, ao contrário do seu amigo que, depois de assinar um par de singles, como Little Tommy, continuou a deixar a sua marca em nome próprio e enquanto Wolfman ou líder da crucial Whole Darn Family, Wonder acabou por trocar a vida artística por um emprego seguro numa lavandaria, deixando um reduzido output discográfico.

    Entre 1966 e os primeiro anos da década de 70, colaborou com a Sound of Soul e com a Golden Triangle, importantes independentes de August Moon a.k.a. Mr. Wiggles, tendo editado dois sete-polegadas e feito parte do alinhamento da mítica colectânea – “Free Angela” – editada em 71, em apoio à activista negra Angela Davis.

    Escrito em parceria com Doris Allen, “Nobody knows”, que além de ter sido o seu disco de estreia, foi o tema escolhido para aquele histórico Lp, valeu-lhe um lugar de culto no seio do movimento Northern Soul.

    Uma incisiva canção uptempo, perfeita para os frenéticos bailarinos do Wigan Casino e da Blackpool Mecca, que se transformou num disputado hino daquela militante cena e que troca de mãos sempre por valores acima do meio-milhar, seja na sua versão inicial, com recurso a coros femininos, seja neste take mais cru, ainda mais raro, que apenas foi prensado dez anos depois de ter sido registado.

     

    ▶️ OUVIR

  • Poder Soul

    25 janeiro 2021 – 29 janeiro 2021

    Quarta-feira

    Shirlean Williams + The Tempo’s Band

    This is a song

    Elvitrue

    A bailarina, Dj, baixista, compositora e manager, nativa de Fayetteville, na Carolina do Norte, Nolla Mainor, já foi alvo de destaque aqui no Poder Soul, apesar de não ter participado na gravação desse disco, que lhe foi indevidamente creditado.

    De facto, o clássico Deep Funk – “Reach down and get it” – foi gravado pelos Soul Rockers, banda que fundou a meio dos anos 60, mas sem a presença da sua líder, por muito que a Goldleaf, o tivesse atribuído a Nola + The Soul Rockers.

    Ainda assim, o grupo manteve-se fiel à sua fundadora, manager e, agora, baixista e transformou-se em The Boppers, antes de assumir a designação The Tempo’s Band, e gravar mais um hino que, desta vez, estranhamente, relega Nolla para segundo plano, ao fazer da misteriosa cantora Shirlean Williams, a sua protagonista principal.

    Gravado em 1975, para a Elvitrue, independente de Wilming, fundada por John Lewis Jones – “This is a song” – além de ter sido composto por Nolla Mainor, é, de facto, o seu projecto.

    Uma enorme canção Funky Soul, lado A de um raríssimo double-sider, que tem o sublime “Easy it to me” na face oposta, que é um verdadeiro Graal entre os mais progressivos Djs da cena especializada e que, felizmente, foi reprensada no ano passado, pela inevitável Tramp.

     

    ▶️ OUVIR

  • Poder Soul

    25 janeiro 2021 – 29 janeiro 2021

    Quinta-feira

    Mickey + Them

    Hey, Brother Man

    GCP

    Oriundos de San Antonio, no Texas, Mickey Foster e Emil Carter começaram a tocar juntos, a meio da década de 60, como membros do grupo Latin Soul, The Royal Tokens.

    Depois de abandonarem a banda, juntaram-se a George Salas e a Gilbert Rivera, para formarem os Fabulous Four que, à medida que foram incorporando Andrew Gordon, Johnny Hooks, Harvey Edmerson, Charles Johnson e Chris Urrutia, se transformaram em Mikey + The Fabulous Five e, finalmente, em Mickey + The Soul Generation.

    Entre 1969 e 77, ano em que se separou, o colectivo editou cinco ultra-colecionáveis sete-polegadas, para a GCP, a Maxwell, a Mr.G e a Omega Records, e gravou mais vários temas, que foram desvendados, em 2004, pela Cali-Tex, de Dj Shadow, e, em 2016, pela Big Crown, para além de ser uma presença assídua nos palcos texanos, onde abriu concertos de lendas como James Brown, Kool + The Gang, The Supremes, Clarence Carter ou Sam + Dave.

    Gravado para a GCP, de Manny Guerra – “Hey, Brother Man” – foi, inexplicávelmente creditado a Mickey + Them e é um dos mais geniais temas desta banda que nos deu clássicos como “Iron leg” ou “Get down brother”, entre outros.

    Uma obra-prima Funky Soul, escrita por Emil Carter, que também assegura suas as vozes, que tem vindo a conquistar cada vez mais adeptos no seio da cena especializada e que, sendo rara e valiosa no seu formato original, foi reeditada em Novembro do ano passado, no âmbito do Record Store Day.

     

    ▶️ OUVIR

  • Poder Soul

    25 janeiro 2021 – 29 janeiro 2021

    Sexta-feira

    Jackie Mittoo All Stars

    Dance baby dance

    Stine-Jac

    Nascido em Brown’s Town, na Jamaica, em 1948, o decisivo e carismático teclista, compositor e líder de orquestra Jackie Mittoo, foi uma das figuras chave da cena musical daquela marcante ilha.

    Começou a aprender piano aos quatro anos de idade e, aos treze, já faltava às aulas para tocar, profissionalmente, em sessões de gravação dos Federal Studios e fazer parte de bandas como The Vagabonds ou The Vikings, antes de tornar numa das grandes atrações dos clubes nocturnos locais com The Sheiks.

    Em 1963, quando “Coxsone” Dodd fundou o crucial Studio One, convidou-o para director musical e Jackie Mittoo viria a tornar-se fundamental na carreira de muitos dos principais artistas jamaicanos, como Ken Boothe, Alton Ellis, The Wailers, The Heptones, Marcia Griffiths, John Holt ou Delroy Wilson, entre outros.

    Entre 64 e 90, o ano da sua morte, para além de ter fundado os históricos Skatalites e de ter integrado formações de referência como The Soul Vendors, The Soul Brothers, Brentford All Stars, Sound Dimension ou The Aggrovators, editou, produziu, compôs, arranjou e tocou em centenas de discos, quer na sua ilha natal, quer em Toronto, no Canadá, para onde, a exemplo do que aconteceu com muitos dos seus parceiros, emigrou na viragem dos 60 para os 70.

    Editado em 1980, pela Stine-Jac – “Dance baby dance” – é um dos discos que assinou, na capital do estado de Ontário, e, sendo um dos seus menos conhecidos sete-polegadas, é mais uma das suas grandes contribuições para a mais moderna música jamaicana.

    Uma tremenda e futurista fusão entre Reggae e Disco, que nunca falha quando lançada numa pista de dança e que tem vindo a conquistar cada vez mais protagonismo na cena especializada.

     

    ▶️ OUVIR