Agenda

Tremor

O festival Tremor regressa à ilha de São Miguel, nos Açores, entre os dias 5 e 9 de abril, com o apoio da Antena 3. O evento que se assume como uma experiência musical no centro do Atlântico traz novas confirmações para o cartaz.

Rodrigo Amarante, Alabaster DePlume, Taqbir, Sessa, Maria Reis, Jonathan, L’Eclair, Rodrigo Amado e Victoria são as 9 aquisições para a edição deste ano.

O nome de Rodrigo Amarante dispensará apresentações para uma grande fatia do público nacional que se terá cruzado com o seu transversal trabalho em disco ou nas colaborações para conteúdos audiovisuais de grande distribuição. No Tremor, Amarante apresenta-se em nome próprio, para tocar Drama, disco editado em 2021.

Nome firmado na nova cena musical nacional, Maria Reis tem vindo a desenvolver um sólido trabalho como cantora e compositora. Membro fundador das Pega Monstro, estreou-se nas edições a solo com Maria, seguindo-se-lhe Chove na Sala, Água nos Olhos, disco amplamente aplaudido pela crítica da especialidade, e A Flor da Urtiga, produzido por Panda Bear e editado já em plena pandemia. Para 2022, Maria Reis traz-nos novo disco, Benefício da Dúvida, gravado em residência na cidade de Viseu, onde se experimenta pela viola campaniça.

Compositor, saxofonista, ativista e orador, Alabaster DePlume é residente no londrino hub reativo Total Refreshment, editado pela Lost Map e o mais recente membro da crescente família de experimentalistas musicais que integram a International Anthem. O seu mais recente disco, To Cy & Lee: Instrumentals Vol. 1, junta orquestração naturalmente elegante, envolvida em algo de visceral e primordial.

A partir da Suíça, os seis elementos dos L’Eclair talham um som único onde misturam detalhes de afro-disco, kosmische jazz e house. A sua discografia desenha a banda sonora perfeita para abalar o mundo moderno, onde o tempo não é uma opção e onde humanos e máquinas parecem não estar dissociados uns dos outros.

Fundador do grupo Garotas Suecas e colaborador regular de Yonatan Gat, o nome de Sessa não será novo para os mais atentos à cena musical brasileira e americana. Em Grandeza, o seu disco de estreia a solo, descobriu o espaço para explorar a sua própria visão sobre aquele que é o imenso território sonoro do Brasil. Um trabalho carregado da visceralidade e sensualidade da palavra.

Banda marroquina de hardcore/punk expatriada e sedeada algures na Europa (os seus elementos desejam permanecer anónimos), os Taqbir fazem música que é suporte para a liberdade religiosa (ou a liberdade da religião). Pungentes e turbulenta, o seu EP Victory Belongs To Those Who Fight For A Right Cause desliza entre o punk e o post punk, entregando-nos um conjunto de temas onde as letras soam a gritos de guerra alimentados por cada entrada de bateria e guitarra.

Os açorianos Jonathan Afonso e Victoria e o saxofonista Rodrigo Amado marcam também presença, bem como a residência já anunciado entre Peter Evans e a Escola de Música de Rabo de Peixe. Anunciados estavam já as colaborações entre: Odete e Ece Canlı, a ASISM, o Coral de São José e os ondamarela, assim o espectáculo Atlas São Miguel e a criação da Orquestra Modular Açoriana, liderada pelo trio Bitchin Bajas, que apresentará ainda nos Açores um concerto centrado no seu último disco.

Os bilhetes para o tremor 2022 já estão à venda e custam 60 euros, podendo ser adquiridos na bilheteira online.