Destaques

Primeiras confirmações para o Festival Forte

BLAWAN • BYETONE • CLARK • DASHA RUSH • DVS1 • IN AETERNAM VALE • JEFF MILLS • KANGDING RAY • LUCY • NATHAN FAKE • NINOS DU BRASIL • OSCAR MULERO • PEDER MANNERFELT • RON MORELLI • SHIFTED

 

Depois de três anos em que se consolidou como uma referência a nível mundial pela aposta nas novas tendências da música eletrónica moderna e pelas sinergias que estabelece entre o público e o espaço arquitetónico, o Festival Forte regressa para a sua quarta edição nos dias 24, 25 e 26 de agosto de 2017, no Castelo de Montemor-o-Velho, novamente com o apoio da Antena 3.

Apoiando-se na criteriosa seleção musical e no dinamismo visual que é preparado para cada espetáculo, o Festival Forte cria uma dinâmica experimental entre som e imagem, num abundante diálogo criativo que atualmente define a sua comunicação. A programação que tem vindo a ser desenvolvida desde 2014 é reafirmada nesta edição, com uma abordagem diversificada dos muitos géneros tutelados, desde os anos 90 até hoje, a abrir caminhos para novos futuros criativos. Entre as primeiras confirmações para 2017, encontram-se os nomes já avançados pela 3: Jeff Mills, Nathan Fake e Blawan.

 

Jeff Mills é a figura mais importante de toda a cultura de música de dança. Nascido em 1963 e ex-estudante de arquitetura, criou há 25 anos a Axis Records, a primeira editora da aclamada música eletrónica de Detroit, e foi elemento fundador do coletivo Underground Resistance ao lado de ‘Mad’ Mike Banks no final dos anos 80, enquanto apresentava o seu próprio programa de rádio nas estações WDRQ e WJLB. O seu génio veio a revelar-se em plenitude ao exibir a sua técnica ao serviço do gira-discos. Começou por criar ao vivo, com quatro pratos, o som para Woman in the Moon, de Fritz Lang, e mais tarde compôs uma nova banda sonora para o filme Metropolis, do mesmo realizador. Atuou várias vezes com a orquestra filarmónica de Montpellier, exibiu obras no centro cultural Pompidou, editou vários DVD de referência e, como DJ, apresenta-se atualmente munido de três leitores de CD e uma (ou mais) Roland-909, que lhe dão a liberdade de improviso de que necessita para soltar a sua magia.

O jovem britânico Nathan Fake, que edita o seu novo LP, Providence, já no próximo mês, estreou-se em 2003, com apenas 21 anos, pela mão de James Holden. Aclamado ao longo dos últimos dez anos como um dos mais brilhantes produtores pela crítica internacional, Fake apresentará o seu novo álbum ao vivo, acompanhado por um espetáculo audiovisual criado por Matt Bateman.

Jamie Roberts é Blawan, artista que se destaca por sonoridades explosivas, fortes percussões e mudanças de estilo inesperadas. Fanático por modulares, Jamie gere atualmente a sua editora, Ternesc, através da qual apresenta ao mundo o seu génio na arte da produção e representa, de forma exemplar, a nova geração da música eletrónica.

O germânico Byetone apresenta ao vivo as composições complexas características da editora Raster Noton, que fundou juntamente com Alva Noto e à qual está também ligado Kangding Ray. Conhecido por transformar sistematicamente as suas sonoridades com uma atenção extrema às texturas, o francês edita neste ano o seu novo álbum, Hyper Opal Mantis, pela Stroboscopic Artefacts, por sua vez detida pelo italiano Lucy, que também pisará o palco do Castelo de Montemor-o-Velho em agosto.

Clark, um dos pilares da Warp Records, lança novo álbum na primavera e apresentará o seu novo espetáculo multimédia com bailarinos em palco. Clark enfatiza a versatilidade, incorporando inúmeras vertentes da música eletrónica com melodias de piano sombrias e emocionantes.

Dasha Rush, uma das mais mediáticas DJ do panorama atual, levará sonoridades mais experimentais e sintetizadas ao castelo, aonde regressam, em 2017, o americano DVS1 e o espanhol Oscar Mulero, duas figuras representativas da eletrónica mais obscura.

De volta aos anos 80, é tempo de conhecer o francês Laurent Prot, que lançou as bases para o tecno industrial. Mais conhecido como In Aeternam Vale, faz no Festival Forte uma das suas raras aparições deste ano.

Shifted soltará o espírito puro do experimentalismo, que atingirá o seu auge quando os italianos Ninos du Brasil se apresentarem em palco com os seus bombos, abrindo caminho para o delírio de noise, batucada, samba e eletrónica.

Ron Morelli é o mentor da editora L.I.E.S., que é atualmente uma das mais conceituadas no mundo menos ortodoxo da música eletrónica, a par com a Hospital. Por fim, haverá ainda tempo para o espetáculo audiovisual do sueco Peder Mannerfelt (The Subliminal Kid), um dos mais prolíficos e originais produtores da Escandinávia.

 

O passe geral — válido para os 3 dias do festival, com acesso ao parque de campismo incluído — encontra-se à venda por €85 nos locais habituais e, em edição limitada, por €80 na BOL, na página do Forte no Facebook e na Sonicgoods.

O Festival Forte promete mais confirmações e outras novidades para breve.

Mais informações no site oficial: www.festivalforte.com

 

 

Festival Forte
Data: 24 a 26 agosto 2017 (quinta-feira a sábado)
Local: Castelo de Montemor-o-Velho, Montemor-o-Velho
Bilhetes: €80 a €85 (BOL, Sonicgoods)