Os portugueses possuem muitas e boas razões para justificar a sua excelente posição no ranking dos povos que mais trabalham para o bronze.

É que, afinal de contas, temos praias que continuam a ser uma bela e idílica perdição e o “lagartar” ao sol na areia é das tarefas que melhor apurámos ao longo de décadas. Mas, como é óbvio, há profissionais do bronze que são imbatíveis. Em Portugal a relação com a praia evoluiu imenso nas últimas décadas. Os alegres saloios de garrafão de tinto e farnel “embuchante” foram substituídos por uma multidão de corpos cada vez mais atléticos e por uma fauna com biquínis muito mais atrevido.

Há até quem vá à praia só para lavar uma coisa: a vista!