Nós portugueses somos uma raça à parte na forma como vivemos o futebol.

Vibramos bastante a ver o jogo jogado mas, na verdade das verdades, o que mais adoramos, aquilo que nos deixa realmente em pulgas, são todos os acontecimentos a seguir ao jogo. A nossa maior perdição é falar dos penalties que ficaram por assinalar, dos cartões vermelhos que ficaram por mostrar, do treinador que é uma “besta”, do árbitro que devia ser preso para o resto da vida e por aí adiante. E é por isso, por ficarmos a escalpelizar nos dias seguintes o mesmo jogo vezes e vezes sem conta, que há três jornais diários desportivos em Portugal e inúmeros programas de televisão com catedrática análise futebolística.

E ainda dizem que não batemos bem da bola…