Disse Platão que se “pode descobrir mais a respeito de uma pessoa numa hora de jogo do que num ano de conversação”, o que o filósofo não desconfiava é o que se podia aprender sobre alguém antes sequer do jogo começar.

João Pinto, o eterno capitão do Futebol Clube do Porto, qual La Palisse nortenho, respondeu a um jornalista, que lhe pedia a antevisão de um jogo e a frase saltou das quatro linhas e entrou na boca de todos os portugueses: prognósticos só no fim do jogo. O que lhe terá passado pela cabeça quando disse a frase? Talvez o próprio João Pinto tenha respondido quando, noutra ocasião, parece ter dito que o seu coração tinha apenas uma cor: azul e branco.