A revolução republicana de 5 de Outubro de 1910 deixou a nu a impreparação e a enorme divisão dos dirigentes políticos republicanos da época.

Desde a eleição de Manuel de Arriaga para Presidente que se assistiu a uma profusão de demissões de presidentes e de governos. E por falar em governos, na I República existiram vários que duraram uns dias quando a média era dois ou três meses de vida.

Neste período de emaranhado político, neste constante esgrimir de egos e de total incapacidade de união, expuseram-se todas as fragilidades do regime que favoreceu a entrada em cena do homem providencial: primeiro Sidónio Pais e depois… Salazar.