A Guerra Colonial e a Descolonização são assuntos que é ainda preciso tratar com muitos paninhos quentes.

Em 1961, em Angola e na Guiné-Bissau, os movimentos de libertação empurraram Portugal para uma guerra que sorveria custos sem fim a uma nação de calças rotas e de pés descalços. Em 1964, a guerra chegaria também a Moçambique. Sob o comando de Salazar e depois de Marcelo Caetano, Portugal recusa-se a negociar uma solução pacífica para o conflito.

Com a Revolução do 25 Abril, Portugal tornava-se na última nação a abandonar as colónias em África e, deste modo, viu-se na obrigação de fazer uma descolonização que, para muitos, foi mal planeada e apressada.

Cerca de 40 anos depois, que balanço podemos fazer sobre uma descolonização à portuguesa?