Em sua casa, contavam-se seis mulheres. Na nova série da RTP serão apenas três – 3 Mulheres – que mudaram a História do país, exemplos de força e convicção, perseverança e justiça.

Soraia Chaves dá corpo a Natália Correia, uma homenagem à escritora:

Esta Natália Correia tocou-me de uma forma muito bela e vai acompanhar-me para o resto da vida, eu não vou olhar para o mundo da mesma forma.

Para conseguir o papel, fez uma audição, como qualquer outra aspirante faria. Considera que fazê-las é essencial para aferir da adaptabilidade da atriz à personagem. Antes de fazer o casting já estava completamente embrenhada na obra dela.

Houve um grande trabalho de pesquisa e um trabalho de reconhecimento dessa mulher de tantas facetas. Para conseguirmos a verdadeira dimensão da Natália Correia era preciso uma série só para ela.

Snu Abecassis e Vera Lagoa são as outras duas mulheres desta série, que nascem do trabalho de Victoria Guerra e Maria João Bastos. Todas lutando pela superação do preconceito, do machismo, do silêncio das mulheres dos anos 60 e 70 em Portugal.

[Hoje em dia] ainda somos um país machista e misógino. E ainda vai demorar muito tempo a ser corrigido. Porque foram muitos séculos. Eu acho que há certos costumes que já são milenares e que têm as raízes muito aprofundadas. E sinto que algumas coisas que estas mulheres reivindicavam na altura e que podemos continuar a reivindicar; obviamente com um maior equilíbrio.

Para Soraia, a desigualdade de género numa sociedade parece-lhe absurdo. A atriz vê a feminilidade que a caracteriza com uma naturalidade tal que o “feminismo de porta-bandeira” não é algo em que se reveja.

Protejo e defendo a minha liberdade. Mais nada. Mas o que a Natália de facto me trouxe foi o olhar poético sobre o mundo. Isso transpôs-se para a minha vida e a minha forma de olhar para o mundo.

Viver num mundo feminino na sua vida pessoal transmitiu-lhe sempre confiança em ser mulher. Soraia diz-se tímida e complexa, mas hoje, aos 36 anos, é também uma mulher mais confiante e menos influenciada pelas opiniões dos outros.

O mediatismo ainda me assusta. É algo com o qual não consigo ainda lidar muito bem (estou muito melhor, tive ainda uns anos em que queria quase desaparecer dessa atenção porque me incomodava muito). Quando estou em personagem sim! (…) Eu sou uma pessoa tímida, sou complexa, não me entendo lá muito bem, ainda estou numa aprendizagem! E é muito estranho eu revelar-me porque não estou assim tão segura…

3 MULHERES estreia dia 26 de outubro, às 22h30.