Odiada por muitos, amada por alguns, as palavras de Dolores custam a entrar. O conteúdo é desconfortável para os tímpanos sensíveis. Fruto da internet, diva das redes sociais, chegou para falar de minetes, consentimento e monogamia.

 

Quem é Dolores, a cantora que todos falam? De onde vem, para onde vai? A história da cantora mais polémica do underground português é-nos contada por quem viveu de perto a intensidade de uma mente que nunca se conformou com o normal.

Não havia outro destino para ela traçado que não o das artes: filha de um excêntrico pai, criada como pássaro livre, mergulhou num mundo referências políticas e musicais desde pequenina. Cidade do Porto seu ninho, Escola Artística Soares dos Reis a incubadora de adolescência.

 

 

Como é que uma miúda virou estrela em ascensão infinita e, de repente, derrapou pelo céu abaixo até se enterrar num profundo buraco? Tudo começou com um vídeo que se tornou viral. “Minetes da Mouraria” correu todos os perfis das redes sociais, os adolescentes cantavam, adultos hipsters abanaram a cabeça, os chatos reclamaram da vergonha.

Entrevistas de rádio, capas de jornal e artigos de opinião lançaram Dolores num périplo de concertos de Norte a Sul do país. Rapidamente se tornou um ícone mediático, aparentemente vazia de conteúdo, na opinião de conservadores, mas com uma profundidade revolucionária, defendiam os intelectuais de esquerda.

 

 

O salto para as grandes salas do país foi dado num ápice, trazendo de arrasto um constante assédio por agentes, programadores, editores, todo esse mundo dos telefonemas e das fotografias. Exatamente quando tudo parecia um mar de rosas, deixou de o ser.

Perdida nela própria, após o lançamento de “Ivagina”, não houve retrocesso possível ao estado mental da artista mais falada do momento.

Onde é que já vimos isto?

 

Ficha Técnica

Título Original

Dolores

Autoria

Tota Alves

Ano

2020

Duração

15' | 5 episódios