Emitido

2020/11/21

Episódio nº 153

 

Convidados

Carlos Miranda Henriques (telespectador);

Vítor Oliveira (agenda e planeamento RTP);

Marta Jorge (jornalista RTP);

Queixas: 3

 

Texto do Provedor:

Muitos profissionais da televisão ainda vivem na ideia de que esta é um modo de comunicação de um só sentido. Enganam-se. Os telespetadores são cada vez menos simples espetadores amorfos e inativos. De mil e uma maneiras procuram entrar em contacto com a sua televisão, com o seu programa preferido, ou com aquele profissional a quem desejam fazer chegar uma mensagem. E não desistem com facilidade de conseguir o que pretendem.

Neste Voz do Cidadão percorremos as diversas formas que os telespetadores têm ao seu dispor para falarem, escreverem, ou enviarem sons e vídeos para a televisão pública. E acompanhámos dois casos: um que não terminou bem e outro em que os contactos funcionaram, as respostas surgiram e todos saíram a ganhar.

Por hábito, por a considerarem mais fiável, ou mais sua, é à RTP que muitos telespetadores querem comunicar acontecimentos previstos ou a decorrer. De facto, chega a esta estação televisiva muito mais informação do que aquela que seria de esperar, tendo em consideração a parte de mercado que detém. Este é um indicador da forte relação que existe entre o público e a RTP.

Um dos segredos para conseguir o que pretende com alguma facilidade passa por escolher a via de contacto certa. Não usar o primeiro que lhe vem à mão. Pesquisar no sítio da empresa o canal que melhore se adequa ao que pretende transmitir, ao que deseja saber. E se, depois de todos os caminhos experimentados nenhum lhe der resposta conveniente, tem sempre como último recurso o mail do Provedor para fazer ouvir a sua voz.

Eu sou o seu provedor. Não se esqueça, pode contar comigo.

Veja o programa completo aqui