Emitido

2018/06/02

Episódio nº 56

 

Convidados

Sandra Duarte Cardoso

 

Texto do Provedor

O mau uso da língua portuguesa é tão frequente na televisão pública que fomos contar as palavras diariamente ditas e escritas nos ecrãs da RTP para percebermos que nem tudo são incorreções e que há múltiplos programas irrepreensíveis neste aspeto. Em 24 horas na RTP1 dizem-se e escrevem-se mais de 160 mil palavras, enquanto na RTP3 este total vai para além das 215 mil palavras. Estes montantes, apurados há um ano, seriam sensivelmente idênticos se atualizados para o dia de hoje.

Mas o que mais preocupa os telespetadores e o seu Provedor é a inexistência de progresso visível neste campo, a repetição constante dos mesmos erros, a aparente ausência de sistemas de correção e prevenção do uso incorreto da língua portuguesa. E a inexistência de processos de formação e estímulo no sentido de se melhorar o português falado e escrito na televisão pública.

Apresentamos a seguir alguns exemplos de atropelos habituais. A nossa intenção não é a de com esses exemplos resolvermos o problema. Pretendemos sobretudo chamar a atenção dos responsáveis para a necessidade de introduzirem mecanismos que permitam detetar os erros cometidos, corrigi-los e desencadear a formação necessária para que não voltem a ser ditos ou escritos.

 

Veja o programa completo aqui