Emitido

2018/05/05

Episódio nº 53

 

Convidados

Isabel Pinheiro (AMI);

Pedro Valdez (Fundação Carmona e Costa);

Rui Soares (diretor criativo Tux & Gill);

Luís Castro (programa Sociedade Civil);

João Pedro Mendonça;

Marina Ramos;

Cristina Viegas.

 

 Texto do Provedor

Muitas pessoas trabalham nesta empresa para que associações, iniciativas culturais, fundações e modalidades desportivas, entre outras, possam ganhar visibilidade através dos ecrãs da RTP, sem custos, ou a custos reduzidos. A importância desta forma de apoio é, para algumas das instituições que dele beneficiam, absolutamente fundamental, ou mesmo caso de vida ou de morte.

Mas nem tudo é simples. Depois do que acaba de ver e ouvir, o telespetador lembra-se que faz parte de uma instituição que, no seu entender, reúne todas as condições para ter presença na televisão pública através do tempo de antena, da publicidade institucional, ou de outra qualquer das vias apresentadas neste Voz do Cidadão. Dirige-se ao sítio da RTP para obter mais informação sobre este assunto e… nada! Procura então por um qualquer contacto que lhe pareça mais relacionado com estas matérias e… nada! Sempre nada. Na verdade a informação está lá, mas muito escondida. Posso ajudá-lo: procure em parcerias e irá dar à página que interessa. Pode também dirigir-se a RTP+. Lá encontrará essa informação útil. E pode usar o endereço de mail em rodapé: parcerias.media@rtp.pt.

Há, como vimos, dezenas de formas diferentes de se conseguir uma relação especial com a televisão pública que tenha tradução numa presença não exageradamente cara nos canais da RTP. Nem todos têm direito a esta presença de baixo custo. Mas todos os que a ela tenham direito devem poder informar-se com facilidade sobre como podem exercer tal direito. No sítio da RTP faz falta reunir todas estas portas de entrada numa página com maior visibilidade. Sob pena de serem sempre os mesmos a gozarem de vantagens que devem ser repartidas entre todos os que reúnam as condições necessárias para usufruírem desses benefícios. O serviço público de televisão tem de ser, também neste campo, de acesso fácil e universal.

Ou seja: quando se trata de vantagens a conceder estas devem ser suficientemente publicitadas e visíveis para que todos possam estar em situação de igualdade no acesso a esses benefícios.

Eu sou o seu Provedor. Não se esqueça, pode contar comigo.

Veja o programa completo aqui