Voz do Cidadão

As transmissões em direto de cerimónias religiosas em momentos de grande mobilização dos católicos portugueses justificam-se, não apenas pelo serviço prestado aos crentes daquela religião, mas também como exposição pública de atos significativos da religião com maior peso na sociedade e na cultura portuguesas.

Os diretos são uma das partes mais nobres da informação televisiva, mas são também um terreno difícil em que fácil, fácil, é o jornalista mais experiente ter uma escorregadela.

A maioria dos telespetadores quando crítica a informação da RTP tem como alvo o Telejornal. Ele é a principal cara da informação da televisão pública. E é uma marca em que os portugueses confiam. Apesar dos seus 60 anos não apresenta demasiados sintomas de envelhecimento, embora mereça alguns investimentos que lhe prolonguem a juventude.

Utilizando a liberdade que a lei lhe confere, a RTP deu maior relevo à cobertura da atividade dos partidos com maior número de deputados eleitos e concedeu menor atenção aos partidos extraparlamentares. Em próximas eleições o figurino terá de ser diferente, pois a realidade parlamentar mudou neste outubro de 2019.

A RTP tem grande poder de influenciar o modo correto ou incorreto como os portugueses escrevem. Ler nos ecrãs da RTP palavras mal grafadas é um enorme contributo para a propagação do erro.

Fazer com que possa viajar com a sua televisão sem sair de casa é o grande desígnio dos programas realizados no exterior. Em grande parte, essa é a sua razão de existir.

Há telespetadores bastante argutos no modo como olham para a forma daquilo que a RTP lhes mostra. Outros manifestam curiosidade sobre como se montam os programas que mais apreciam. Este Voz do Cidadão procura mostrar como é.

Muitos telespetadores olham para a sua televisão como meio de obterem informação imediatamente útil. E querem mais e melhor. Têm razão.

Hoje as crianças não aprendem apenas na família, diante do ecrã de televisão, ou na escola. Muito daquilo que as vai formando, espicaçando a sua curiosidade e alimentado o seu conhecimento encontram-no em outros ecrãs, fora do âmbito daqueles três grandes pilares educativos. E a oferta RTP acompanha esse movimento.

Do desporto à tourada, passando pelos programas de entretenimento, os telespectadores atentos fazem chegar as suas queixas e dúvidas ao Provedor. Porque se esqueceu a RTP dos jogos europeus de Minsk? Porque não acabam as transmissões de touradas? Porque se ataca tanto o SNS? Os telespetadores viram, não gostaram e queixam-se ao seu provedor

Os investimentos técnicos realizados não foram concluídos e o equipamento instalado não pode ser utilizado em toda a sua capacidade. E escasseiam jornalistas, estando várias ilhas sem quem reporte o que nelas se passa.

A presença excessiva da publicidade incomoda os telespectadores. Os inúmeros Anúncios a mais na RTP Play, apelos constantes às chamadas de valor acrescentado para ganhar prémios e suplementos alimentares publicitados pelos próprios apresentadores dos programas da manhã e da tarde são exemplos do que mais irrita o público da RTP.