Emitido

2020/12/19

Episódio nº 157

 

Convidados

Jorge Wemans

Queixas: 0

 

Texto do Provedor:

No fim deste programa terá ficado com uma visão sobretudo quantitativa do trabalho desenvolvido em 2020 pelo gabinete do Provedor. Muito ficou por dizer sobre tudo o que realizámos ao longo deste ano tão dramático. Contudo, apesar das suas circunstâncias muito extraordinárias, 2020 manteve uma linha de continuidade com o passado: a ação do Provedor esteve condicionada e foi estimulada pela atenção crítica dos telespetadores ao que viram nos canais da RTP.

É certo que o Provedor tomou iniciativas, interpelou diretores, redigiu recomendações e planeou programas Voz do Cidadão sobre temas não diretamente sugeridos pelos telespetadores. Mas na larga maioria dos casos foi o público quem, através das suas queixas, chamadas de atenção, elogios e críticas, motivou a ação do Gabinete do Provedor.

Termino juntando um aspeto qualitativo a este balanço. Não quero deixar de sublinhar que em 2020 se tornou muito mais frequente receber mensagens contendo linguagem agreste, imprópria, ou mesmo, grosseira. É verdade, a correspondência com o Provedor não escapa aos ares do tempo.

E, para além da degradação da linguagem, nesta troca de mensagens refletem-se e reproduzem-se as já habituais dicotomias que pretendem dividir o mundo, as pessoas, as ideias e as ações em boas e más, amigas e inimigas, sem lugar para debate nem espaço para introduzir alguma racionalidade no que se diz, escreve e pensa. Esta perceção das coisas dificulta enormemente a ação do Provedor. Mas este é apenas um aspeto menor do enorme dano que tais ideologias e comportamentos estão a provocar ao convívio civilizado nas nossas sociedades.

Para si, que nos acompanhou ao longo deste ano, vão os nossos votos de um Santo Natal!

Veja o programa completo aqui