Emitido

2018/11/10

Episódio nº 73

 

Convidados

André Pereira (telespetador);

José Fragoso;

Teresa Paixão;

Gonçalo Madaíl

 

Texto do Provedor

Os telespetadores são implacáveis: se viram o programa de que gostam anunciado para determinada hora e ele não surge no momento esperado, queixam-se ao Provedor. Por vezes nem precisam de ver o anúncio da hora de emissão, basta-lhes o hábito: se o programa foi sempre emitido naquele horário, sentam-se à espera de o visionarem. Se não aparece, queixam-se ao Provedor.

Por vezes com razão. Mas nem sempre. Quando consultam a programação numa revista pensam que foi escrita ontem. O que não é verdade: foi enviada pela RTP há vários dias, há, pelo menos, 3 ou 4. E muita coisa pode ter mudado entretanto. Também as grelhas de programação que se podem consultar nos televisores e noutros suportes eletrónicos nem sempre foram atualizadas pelos distribuidores de sinal com a última informação entregue pela RTP.

O que pouco difere são os horários efetivos da emissão e os fixados 48 horas antes e comunicados à Entidade Reguladora para Comunicação Social. Como vimos, no ano passado, em média, a RTP1 em cada três dias falhou apenas no horário de um programa. Por outro lado, a RTP2 só não cumpriu o anunciado uma vez em cada mês. Mas não é essa a perceção dos telespetadores.

O ponto de vista de quem vê televisão é simples e constitui um aviso para os diretores de canal: trocar o horário habitual de um programa, ou não cumprir com os horários previstos, só pode ter lugar em caso de extrema necessidade.

Eu sou o seu Provedor. Não se esqueça, pode contar comigo.

Veja o programa completo aqui