Francisco é um homem bonito, charmoso e usa-se disso para conquistar o sexo oposto. Apesar de ser casado com Sara, mantém uma relação com Cecília, que é também o seu braço direito na agência de publicidade que gere. Ele e Cecília têm, inclusivamente, um filho. Estas relações, porém, não o impedem de procurar sempre relações novas que satisfaçam o seu ego.

Ao mesmo tempo, Francisco teve sempre necessidade de ter o seu porto seguro, a família tradicional. Assim, Francisco manteve sempre duas caras, dois mundos, duas vidas. Saltar de um mundo para o outro, alternar entre o Francisco conquistador e vaidoso, diretor-geral da agência de publicidade e o Francisco marido e pai dedicado e carinhoso dá-lhe uma adrenalina única, sem a qual não consegue viver.

Homem de duas caras, conseguiu que nunca ninguém o conhecesse a cem por cento. Nem as suas duas mulheres. Sara, a esposa, conhece o lado meigo, de homem de família. Já Cecília, conhece o lado conquistador, implacável. Mas a verdade é que ambas amam Francisco. E ele ama as duas. E nunca conseguiria viver sem elas.