Óscar Geadas tem 44 anos e é o rosto da estrela Michelin em Trás-os-Montes, no G Pousada. Por detrás desta conquista está uma história de família. A família Geadas, do restaurante com o mesmo nome em Bragança, é bem conhecida no panorama da restauração nacional.

Sempre soube que a vida de cozinheiro era de devoção integral, cresceu com o irmão na cozinha, a acompanhar a lida dos pais. É desta herança gastronómica que nasce o G, com Óscar na cozinha e o irmão António na sala. Um projeto que conseguiu elevar a tradição transmontana a outro nível.

Na Pousada de São Bartolomeu, Óscar torna os produtos da estação e a influência transmontana em sofisticação. Em 2018, Óscar e António veem o empenho e o talento serem reconhecidos quando o G recebe a sua primeira estrela Michelin.

Cresceu numa família humilde: até aos seis anos foi criado com os avós na aldeia. A casa deles era “o local de trabalho dos pais”, ou melhor, a cozinha. Viviam entre pratos, panelas e tigelas. E tudo começou na própria Pousada de Bragança. Quarenta anos depois, os filhos vêm parar à casa onde o pai aprendeu. “É uma estrela da família para a família”.

A primeira coisa que lembra de cozinhar foram umas moelas. A sua infância deixou-lhe um legado de memórias e aprendizagens que criaram grande parte da sua identidade de cozinheiro. Frequentou o curso de engenharia ambiental no Porto, mas sem a paixão de quem tinha escolhido aquela profissão, até que o pai conseguiu encaminhá-lo com sucesso para Gestão e Produção de Cozinha em Mirandela, um curso entretanto extinto.

As bases da sua cozinha, continuam a ser muitos dos ingredientes e bases que os pais sempre usaram na sua cozinha. A união da família Geadas é parte fundamental desta história de sucesso e de amor a Trás-os-Montes. Ainda hoje, o Chef sabe que é também graças ao apoio da mulher e dos filhos que todos os dias faz brilhar a sua cozinha.

No MasterChef Portugal quer ensinar aos aspirantes que “isto não é uma profissão, é um modo de vida”.