Sara é de Carrazeda de Ansiães e, em 2015, estava a estudar no Porto quando, por brincadeira, experimentou fazer uma aula de aerial hoop.

Tinha 19 anos e, na altura, estava a fazer um projeto de escultura. No entanto, como até gostou da experiência, começou a fazer mais aulas e, quando se apercebeu, ainda gostava mais de aerial hoop do que de Escultura (a razão pela qual tinha ido para o Porto estudar). Mais tarde, em 2018, quando termina a licenciatura e volta para a terra natal, sem nada para continuar a treinar, arranja uma sala para o fazer sozinha e investe no seu próprio material.

Nesse mesmo ano, começa a fazer espetáculos e a animar alguns eventos com lira, que era, na altura, a única coisa que sabia fazer. Contudo, devido à projeção das suas aulas online em Carrazeda de Ansiães, é vista pelo espaço Zoí, na Maia, e convidada para lá dar aulas. Aproveita a oportunidade para fazer alguns workshops e cursos intensivos e ainda hoje, com 25 anos, ali dá aulas para crianças.

Vir ao GTP é sair da zona de conforto, até porque está habituada a trabalhar a 4 metros de altura e quer ir ainda mais alto – para se desafiar e fazer drops dinâmicos. Gostava de ter mais reconhecimento por parte da comunidade e sonha, um dia, juntar algum dinheiro para comprar mais material e ter o seu espaço próprio.

Como hobbie gosta de fazer body casting (escultura) e acrobacias com cadeiras.