Pedro e Francisca formam uma dupla de ginastas acrobatas há 3 anos. Ele começou a praticar a modalidade há 4, depois de dois anos dedicados à ginástica artística, onde, em vez de se concentrar no seu treino, ficava pasmado a ver o dos acrobatas. “Eles faziam coisas muito bonitas, com dança, saltos… Ficava fascinado a vê-los!”.

Por isso, um dia disse ao pai que era aquilo que queria fazer e mudou-se para o Grupo Desportivo do Colégio Internato dos Carvalhos, onde no primeiro ano formou dupla com a colega Diana.

Francisca, por seu lado, pratica acrobática há 6 anos e também ela teve outro par antes de os professores a emparelharem com Pedro. Diz que sempre gostou de ver as competições na televisão e soube que era aquilo que queria fazer. Contudo, quando chegou a parte de unir forças com Pedro, a verdade é que as coisas não correram lá muito bem. “Discutíamos muito! Ela não gostava muito de mim, até porque estava habituada a um par feminino e, comigo, deixou de fazer muitas coisas que fazia… Enfim, não tínhamos grande ligação, ao início. Mas os professores foram insistindo e, quando começamos a ganhar algumas provas, lá pensamos que se calhar até fazíamos uma boa dupla. E a Francisca começou a gostar mais de mim”, conta Pedro.

Têm o sonho de ganhar o Got Talent Portugal, mas confessam ter algum receio do Manuel Moura dos Santos, por ser um jurado muito exigente.