Luca Paties Moreira, 29 anos, Vila Nova de Famalicão.

Luca é filho de mãe brasileira e pai italiano. Vive em Portugal há 2 anos, veio estudar numa escola de circo. Nasceu em Itália, cresceu no Brasil, mas aos 12 anos voltou para Itália.
Adora várias artes de circo, faz acrobacias, pinos, manipulação de objetos e mais recentemente mastro chinês. Desde pequeno que se lembra de perguntarem o que queria fazer e a resposta era
sempre a mesma: circo. Sempre foi um menino que preferia brincar na rua, do que brincar com videojogos.

Cresceu num lugar bastante conservador, onde as inclinações artistas não eram bem vistas. Por estar em Itália e ter uma mãe brasileira, e alguma dificuldade com a língua, sempre sofreu preconceito por vir de outro país. Em miúdo, isso afastou-o dos sonhos e levou-o a más companhias. Mas a mãe e o padrasto estiveram sempre lá para o afastar desse mundo.
O pai levava-o a ver o circo e daí nasceu a paixão. Lembra-se que o momento mais feliz do ano era quando ia ver um festival de circo contemporâneo em Itália.

Estudou design gráfico e fotografia em Itália, mas não se enquadrava. Trabalhou em vários tipos de trabalhos temporários, bares, restaurantes, mas nunca encontrava satisfação. Até que decidiu sair da sua zona de conforto e ser feliz, fazer o que gosta. Começou a aprender artes de circo e fazer vários workshops.

Fez artes de rua em Itália, França, Espanha, Eslovénia e Portugal. Hoje faz isto para se sustentar, mas, com o Covid e por existir menos adesão a espetáculos de rua, faz espetáculos nos semáforos.

Quando chega a casa sabendo que deu alguns sorrisos na rua às pessoas, sente que a sua missão foi cumprida.