Estar no GTP é a oportunidade de mostrar o seu talento. Inês Rocha considera que tem muito para mostrar e o palco do GTP é o lugar ideal para promover a sua arte e poder a ajudar na divulgação da sua carreira.

Considera-se uma artista versátil. Para além de beatbox, canta, representa, toca bateria e toca cajon.

Aos 4 anos assistiu a um concerto da Floribella, que a marcou para o resto da vida. Aquele concerto foi vivido de forma muito efusiva, de tal forma que chamou a atenção, pois o entusiasmo era tanto que acabaram por chamá-la ao palco para cantar com a Floribella. Experiência que nunca mais esqueceu e, que fez nascer em si, um desejo que mais tarde cresceu.