Gab é um jovem brasileiro (de Minas Gerais) que vive em Portugal há 4 anos.
Dança desde os 14 anos. A tia, que dava aulas de dança no Brasil, convidou-o a ir conhecer a escola
de dança. Ele não tinha intenções de dançar nem achava piada nenhuma. Entretanto a tia pediu-lhe
para ele experimentar a aula de dança folclórica. Ele achou horrível, aquilo não era para ele, mas a
tia voltava a insistir para ele continuar a fazer. A certa altura já sabia as coreografias, gostavam muito de o ver dançar e não teve como desistir. Começou a gostar e numa fase de adaptação experimentou vários tipos de dança.
Aos 21 anos decidiu mudar-se para São Paulo, para estudar dança e investir na sua carreira. Gostava
muito de dança oriental, até que um dia uma professora de dança do ventre lhe pediu para a substituir e dar aulas às suas alunas. Ele nunca tinha ensinado a meninas, mas foi um êxito, todas adoraram e por insistência das alunas e de outros bailarinos começou a dar aulas de dança oriental.
Depois vieram os espetáculos e viajou o brasil inteiro a trabalhar.
Diz que o mercado de dança oriental no Brasil era imenso, tinha muito trabalho e foi quando decidiu
que gostaria de mostrar o seu trabalho na Europa. Inicialmente mudou-se para Espanha, mas depois
teve uma proposta de para ser professor de dança cá, e veio para Portugal.
Desde a pandemia que é difícil viver apenas da dança. Antes era o seu trabalho full time, fazia espetáculos, festivais pela Europa, dava aulas, teve até um contrato de trabalho para ir dançar para a
Bélgica, quando chegou a pandemia e foi tudo cancelado. Neste momento tem que conciliar a vida
de artista com outro trabalho, é rececionista num ginásio. Sabe que é temporário e que quer voltar a dançar como única ocupação de vida. Dá aulas também de zumba e dancefit.
O seu grande apoio são os seus amigos em Portugal, diz que criou a sua família cá.