A mensagem que Catarina (19 anos, Vilamoura) quer passar é que todos os cães são capazes de ser ensinados e aprender a fazer coisas espantosas. Não são apenas as raças mais inteligentes, até uma cadela que foi abandonada e maltratada, como a Flor, consegue mudar completamente e colocar de lado tudo o que passou.
A Catarina tem 19 anos, vive com os pais e com os avós e está a estudar gestão equina.

Sempre teve dificuldade em fazer amizades e acreditava que podia encontrar um melhor amigo num cão. Começou por fazer voluntariado num canil e assim conheceu a Flor, uma cadelinha com a
qual rapidamente criou uma ligação única. Catarina começou a ir todos os dias ter com a Flor para brincar com ela e passeá-la. A Flor já via a Catarina como uma melhor amiga pois, quando ela não estava, não comia, não bebia água, não brincava. Mas os pais da Catarina não queriam um cão grande, como a Flor, dentro de um apartamento. Os responsáveis do canil tiveram que dar uma escolha à Catarina: ou adotava a cadela ou teria que deixar de lá ir, pois a Flor estava a entrar em estado depressivo sempre que a Catarina não estava. Catarina nunca desistiu da Flor e lá conseguiu a autorização para a adotar. Há 5 anos, Catarina adotou a Flor, tinha ela apenas 2 meses.

Em pequena, a Flor fazia alguns estragos como todos os cães, mas hoje é uma cadela muito bem comportada e obediente. A cadelinha é um doce, adora festas e atenção, mas quando ladra é porque já chega de mimos. Tem um ar muito fofo e todos querem acariciá-la na rua.

Agora a Catarina tem a melhor amiga que sempre quis, uma amiga de verdade que está lá sempre em todos os momentos.

Catarina começou a fazer treinos de obediência com a Flor e a aperceber-se que ela aprendia muito rápido. Diz que a cadela foi a sua professora, foi vendo como reagia e ensinando cada vez mais.
Dedicou-se a estudar como treiná-la e começou a fazer truques mais dinâmicos e hoje até já ajuda outras pessoas, treinando os seus cães.

O sonho da Catarina é ajudar associações de animais e abrir um espaço dela, onde acolha animais que não tenham família e ajude a encontrar donos responsáveis para estes animais. Gostava de, no mesmo espaço, conciliar a sua paixão por cavalos.

Gosta muito de ver o GTP, conhece muito bem os jurados e diz que o Tochas vai adorar, porque gosta muito de cães. Está muito curiosa para ouvir as críticas do Manel, que são sempre construtivas.