São todos irmãos, menos o Ricardo – mas é como se fosse.

Foram os irmãos que ensinaram o Ricardo a dançar em 2012. Meses mais tarde, este junta-se a outro grupo com quem esteve durante 5 anos e conheceu e dividiu palco com vários artistas profissionais. Porém, em 2017 o grupo separa-se e Ricardo volta a juntar-se aos irmãos e ao grupo que o formou.

Os Blood Stars já têm muita história, mas o ponto alto do seu percurso foi quando conquistaram o AfroBattle, em 2017, vencendo em várias categorias. Mais recentemente, em 2019, ficaram em segundo lugar num concurso em Carcavelos.

Fazem parte do Clube de Jovens da Outurela e do projeto On Oeiras, onde trabalham com miúdos da comunidade e aprendem ao mesmo tempo que formam outros jovens.

Neste momento, os jovens já estão a implementar o que aprenderam nos mais novos. Fazem diversas atividades e sentem-se muito apoiados por fazerem parte d este clube. Já não conseguem, aliás, ver o bairro sem ele.

Vieram ao GTP para ganhar.