O Odin foi encontrado, no cemitério, no dia da cremação do pai da sua dona. A sua filha, voluntária na UniãoZoófila, levou o Odin para o hospital onde esteve internado cerca de uma semana. Na altura, pensava-se que não ia sobreviver…

“Esteve quatro anos na União Zoófila e sempre tive vontade de o adotar. Mas a minha profissão não o permitia, não tinha condições. Entretanto ele foi adotado mas depois foi devolvido. Quando soube disso fiquei, no fundo, um pouco contente, porque vi nesse momento a oportunidade de o adotar. E assim foi…”