“… A fé também tem um preço…”

 

Santoro olha o mundo como se de um ecossistema se tratasse. A massa alimenta a cúpula e Santoro é simultaneamente massa e cúpula.

Os seus dias são passados entre pessoas do povo, que a ele recorrem em situações extremas e uma clique de gente endinheirada que dele precisa para limpar lucros obscuros.