“Eu ia lá, não ias?!”

 

Um criminoso ocasional, Matilha habituou-se a viver de expedientes: o pequeno furto, o esquema, o engano. É engenhoso, leal e nunca deixa ninguém para trás.

Vive num bairro popular, na casa da sua namorada, Mafalda, com quem tem uma relação intensa e difícil. Matilha é em certo sentido a negação de Humberto — vive ao sabor do vento, movido por necessidades imediatas.