Julho de 2013. O calor abate-se sobre Lisboa, espesso e paralisante.

Humberto (Adriano Luz), um inspector da Polícia Judiciária niilista e socialmente incapaz, investiga o aparecimento do cadáver de uma mulher no cais da Rocha Conde de Óbidos.

Enquanto a investigação decorre, um país angustiado por uma forte crise económica e social agita-se. Vítor Gaspar demite-se, Paulo Portas anuncia uma saída ‘irrevogável’. Dos centros de emprego repletos de gente e leilões de imóveis penhorados à Quinta Patiño, a investigação conduz-nos numa viagem alucinada às igrejas evangelistas da grande Lisboa, aos escritórios de advogados influentes, ao poder político, a bancos falidos e branqueamento de capitais.

 

 

Sul é um policial que alia uma narrativa forte, de género, a um universo estético negro, muito próprio, que convoca tanto o imaginário de filmes de Série B como o universo literário de Manuel Vásquez Montalbán ou Rubem Fonseca. Ao mesmo tempo, transporta a ação para lugares onde vivemos, personagens que identificamos e problemas que nos são comuns.

Realizado por Ivo M. Ferreira e produzido pela Arquipélago Filmes, SUL é uma coautoria de Edgar Medina e de Guilherme Mendonça que, em conjunto com Rui Cardoso Martins, criaram o argumento. A banda sonora original é dos Dead Combo e a edição esteve a cargo de Sandro Aguilar.

 

 

Sul foi a primeira série portuguesa a ser apresentada na Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim – e tem no seu elenco nomes como Adriano Luz (Humberto), Jani Zhao (Alice), Margarida Vila-Nova (Mafalda), Afonso Pimentel (Matilha), Ivo Canelas (Pastor Santoro), Beatriz Batarda (jornalista), Nuno Lopes (inspetor Ribeiro) e Miguel Guilherme (Dário Monteiro), juntamente com mais de cerca de 100 atores portugueses.