O #SÓQNÃO anda em busca de novas histórias antipreconceito

A 1.ª Temporada do #SÓQNÃO reuniu dez casos antipreconceito que, queremos acreditar, foram responsáveis por algumas conversas entre amigos sobre temas que, antes, nem eram assunto.

Mas queremos mais.

A 1.ª Temporada foi só o início de um caminho que se quer longo mas cada vez mais fácil. Lidar com o preconceito, saber ouvir e, sobretudo, querer compreender os outros, é o ponto de partida para a #internetdobem. Mas dez casos são só dez histórias; e há muitas outras ainda para contar.

Por isso, eis-nos chegados ao começo de uma nova busca.

PROCURA-SE: 

  • Bons comunicadores que não tenham medo/receio/pudor/vergonha/repulsa em contar na primeira pessoa a SUA própria história sobre preconceito
  • Gente que não se importe de ser gravada e de conversar comigo
  • Pessoas de coração aberto

Seguem alguns exemplos de pessoas que gostava de conhecer (e perdoem-me se os rótulos são eles próprios um preconceito terrível; no caso, serve só para tentar explicar melhor a minha ideia):

  • Feminista
  • Machista
  • Gender Fluid/ Non-binary
  • Magr@
  • Suicide Girl
  • Vegan
  • Padre
  • Evangélic@
  • Idos@
  • Monge
  • Vegetariano
  • Adepto de claque de futebol
  • Surd@
  • Drag Queen
  • Muçulman@
  • Lipstick lesbian
  • Ex-vítima de violência doméstica
  • Pessoa com psoríase
  • Autista
  • Testemunhas de Jeová
  • Pansexual
  • Mãe solteira
  • Stay at home mom/doméstica por opção
  • Casais com grande diferença de idade
  • Casais inter-raciais
  • Taxidermista
  • … todos os outros!

Aceito de bom grado as vossas sugestões e estou aberta a qualquer conversa sobre o assunto.

Para que possa conhecer-vos, peço-vos que preencham este formulário (ao qual só eu terei acesso) ou que enviem email para soqnao@rtp.pt.

Obrigada a todos os que se inscreveram na 1.ª temporada e que continuam a querer participar. Vou tentar recuperar as histórias de quem se inscreveu na altura, mas peço-vos que enviem novo formulário caso queiram garantir que não me esqueço (hey! Sou falível!) Passem a mensagem, partilhem com os vossos amigos, por Whatsapp, nas redes sociais todas de que se lembrem, nas conversas na praia, nos lanches no café, nas tardes de esplanada.

Joana Martins

Mais histórias

Sou anti-preconceito e tenho uma história (minha) para contar

Só precisas de submeter aqui!

Enviar história