Emitido

2017/11/11

Episódio nº 30

 

Convidados

Paula Belim (telespetadora);

Sérgio Caetano (plataforma Basta de Touradas);

Luis Capucha (aficionado e professor ISCTE);

André Silva (deputado PAN);

Paulo Pessoa de Carvalho (Protoiro);

 

Texto do Provedor

Muitos são os assuntos abordados nas opiniões que acabámos de ouvir. Mas neste programa e de roda desta questão só nos interessa a resposta a uma curta pergunta: deve a televisão pública transmitir touradas? Eu penso que não. Mas também penso que esta questão não deve ser decidida dentro das portas da RTP, ou de acordo com os humores ou convicções do diretor de programas em funções.

Tenho duas boas razões para assim pensar. Primeiro: o movimento daqueles que não querem que a televisão pública transmita touradas tem procurado alcançar esse objetivo em instâncias externas à RTP e com jurisdição sobre ela. E não tem tido ganho de causa. Ao contrário: nunca conseguiu a proibição que procura. Seria no mínimo estranho que tais movimentos obtivessem junto da RTP aquilo que lhes foi negado em nível regulatório superior.

Em segundo lugar, o que esses telespetadores querem é interditar a RTP de transmitir touradas. Não querem que este ano ou outro qualquer sejam anos livres de touradas. Não. Querem a proibição definitiva da transmissão de touradas na Televisão Pública. E esta proibição não pode, como é óbvio, ser decretada por um qualquer diretor de programas, ou, muito menos, por um Conselho de Administração. E como a Entidade Reguladora para a Comunicação Social já deixou claro que não o vai proibir, resta aos mentores do movimento e a todos os que querem banir as touradas da RTP uma excelente instância de recurso: a Assembleia da República – local certo para se firmar uma determinação clara e inequívoca sobre esta questão.

Veja o episódio completo aqui