Emitido

2019/06/29

Episódio nº 104

 

Convidados

Rute Marreiros (Professora Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira);

Rosa Veloso (correspondente RTP Faro);

Duarte Baltazar (correspondente RTP Faro);

Helena Figueiras (correspondente RTP Faro);

Justino Engana (Diretor de Informação Rádio Voz da Planície);

Filipe Pombeiro (Presidente da Associação Empresarial do Baixo Alentejo e Litoral);

Claudino Marques (Diretor-geral da Associação de Agricultores do Sul);

José António Falcão (Diretor do Terras Sem Sombra);

Maria Flor Pedroso;

 

Texto do Provedor

Sem correspondentes imersos na vida local, a RTP fica incapaz de contribuir para o reforço da identidade e da coesão nacionais. Só quem conhece as pessoas, os lugares, as instituições e as histórias locais pode comunicar o mais significativo da vida de uma comunidade. Na ausência de correspondentes locais, a informação – e também o entretenimento – correm o risco de tratar cada localidade como mero cenário circunstancial do acontecimento que relatam.

A situação da televisão pública no que diz respeito a correspondentes locais é francamente má e muito deficiente. Como tudo, não é questão que se resolva apenas com dinheiro, ou seja, com a colocação de mais jornalistas no mapa de Portugal. É preciso também criar nas chefias da RTP hábitos e prioridades de trabalho e de programação que favoreçam a divulgação das peças informativas, e outras, realizadas fora dos grandes centros urbanos.

Mas, não cabe qualquer dúvida: uma rede de correspondentes locais com tantos buracos como a que atualmente tem a da RTP, não permite que a televisão pública cumpra aspetos essenciais da sua missão, nomeadamente dar visibilidade ao que de mais significativo acontece e é próprio dos seus diversos territórios.

Eu sou o seu Provedor. Não se esqueça, pode contar comigo.

Veja o programa completo aqui