Emitido

2019/07/20

Episódio nº 107

 

Convidados

Susana Soares (Ex-Correspondente RTP Açores);

Renato Moura (Ex-deputado regional);

Rui Goulart;

José Amaral;

Mário João Silva;

Lorina Amaral.

 

Texto do Provedor

 

A operação da RTP/Açores está hoje estrangulada pela falta de recursos humanos e pela incapacidade de utilizar bem os meios de que foi recentemente dotada. Os avultados investimentos feitos no domínio dos estúdios de pouco servem quando não existem nem câmaras nem carro de exteriores em condições, quando, por falta de formação e de disponibilidade, não se consegue utilizar nem a décima parte das capacidades dos novos equipamentos.

A situação é semelhante à caricatura de quem compra um carro de grande luxo, mas não tem gasolina para sair com ele à rua. Pior ainda, em toda a região, a televisão não dispõe de um telefone-satélite que permita garantir comunicações em caso de algum desastre que afete as vias normalmente usadas.

Por outro lado, a falta de jornalistas colocados nas diferentes ilhas impede a RTP/Açores de assegurar uma cobertura permanente da realidade local. E impossibilita-a de cumprir a sua missão: ser um elo de ligação entre todas as comunidades do arquipélago e contribuir de modo decisivo para o reforço da coesão açoriana.

É verdade que são poucas as mensagens sobre a RTP/Açores que o Provedor recebe. Mas talvez esse seja o pior dos sinais, indicando porventura que até já os próprios açorianos desistiram de exigir à sua RTP que seja uma âncora da região, um meio de reforçar a identidade e a coesão açorianas, levando a realidade do arquipélago a todos os portugueses.

Mas a televisão pública não pode prolongar este estado de coisas: tem de concluir o plano de investimentos na região e colocar jornalistas no mapa de forma a cobrir a realidade de cada uma das ilhas. Ambas as decisões são igualmente urgentes!

Eu sou o seu provedor. Não se esqueça, pode contar comigo.

Veja o programa completo aqui