Voz do Cidadão

Há uma moda cada vez mais acentuada de recurso a terapias não convencionais. É uma moda que veio para ficar e a RTP não a pode ignorar. Mas deve cuidar como as apresenta.

Quando a homenagem a uma figura pública é emitida uns dias depois do seu desaparecimento espera-se que seja bem preparada e produzida. E todos sabemos que o direito à reserva da vida privada de quem procurou protagonismo público é muito mais reduzido do que o direito que assiste ao cidadão anónimo

Nem sempre se consegue rever o programa desejado porque algo correu mal no momento da gravação. Alguém colocou na minha “TV box” informação errada quanto à hora de emissão do programa. E ficamos sem poder ver o programa que pensávamos ter gravado.

A televisão faz sempre cultura – o que está em causa é avaliar que cultura é essa e que relação mantém com a cultura, os criadores e autores.

Será que as emissões da RTP Internacional respondem aos interesses das comunidades lusófonas espalhadas pelo mundo?

Poucos são os telespetadores que se queixam da programação de um canal que tem evoluído na direção certa.

As alterações à programação causam sempre incómodos e irritações. Os telespetadores queixam-se, a ERC não tanto. Como se constrói uma grelha de programação e porque razões se pode alterá-la?

Balanço de 2017 - diretores da RTP / Prioridades dos diretores dos canais