Emitido

2019/06/15

Episódio nº 102

 

Convidados

João Gonçalves (telespectador);

Professora Catarina Duff Burnay;

José Fragoso.

 

Texto do Provedor

Já imaginou o que aconteceria se lhe tirassem o telejornal das 20h00 e o colocassem, por exemplo, às 21H00? Ninguém está a pensar nisso, mas podemos imaginar o alarido que tal alteração provocaria. O mesmo aconteceria se SIC e TVI deixassem de oferecer telenovelas entre as 22 e até bem depois da meia-noite. O horário nobre ao longo dos dias úteis da semana é tão decisivo para os canais de televisão que ninguém corre o risco de ir contra os hábitos do público.

De facto, nas últimas décadas apenas a RTP1 tem ousado mexer nos géneros televisivos emitidos em horário nobre. Eliminou a presença do género telenovela. Colocou um concurso de cultura geral a seguir ao bloco informativo e fixou o tempo máximo de duração do Telejornal em 60 minutos. Introduziu as séries nacionais e arriscou, por vezes, programar documentários pouco depois das 21h00. Mantém às segundas-feiras um programa de debate sobre os temas mais variados, embora nunca tenha arriscado criar e manter um programa de matriz especificamente cultural neste horário. Muitas mudanças, apesar de tudo.

O consumo de televisão nas noites de sábado e domingo tem várias especificidades e os diretores de canal defendem-se procurando oferecer conteúdos de maior investimento, mais glamorosos e atraentes. Aos fins-de-semana tudo muda. O que não muda é o facto de apenas programas desenhados para atrair o grande público caberem no horário nobre. Esta é a regra. E é uma das razões para que, por exemplo, não se veja ficção estrangeira neste horário.

Mais uma vez: a RTP1 é a única que de vez em quando se atreve a apresentar filmes e séries estrangeiras depois do telejornal e antes da meia-noite. Os canais privados não o fazem porque sabem que a legendagem afasta de imediato parte do público que não as lê com facilidade. É verdade: nem tudo é apropriado para ser emitido em horário nobre.

Eu sou o seu provedor. Não se esqueça, pode contar comigo.

Veja o programa completo aqui