Emitido

2017/12/16

Episódio nº 35

 

Convidados

Hugo Gilberto; Daniel Sá (diretor-executivo IPAM);

Luís Carvalho (telespetador);

Pedro Jorge (telespetador);

 

Texto do Provedor

A televisão que fazia parar um país por causa da transmissão em direto de um acontecimento só renasce hoje a propósito do desporto. Mais concretamente, do futebol. A RTP deve-lhe os seus maiores picos de audiência. Mas também é ele um dos temas que origina mais críticas e reclamações. Os telespetadores questionam não apenas o futebol, mas também o desporto em geral, os clubes, as modalidades, os debates e a própria informação desportiva.

Mais do que exprimir a opinião do Provedor sobre tais críticas, pensei ser importante ouvir as respostas e as explicações do diretor responsável pela informação desportiva na RTP. Agradeço a sua disponibilidade e a sua frontalidade.

De tudo o que fica dito, concluo o seguinte: Sim, há um excesso de informação futebolística nos jornais da manhã e em toda a RTP3; sim, há lugar para um programa permanente animado por adeptos dos clubes de futebol que ficam abaixo dos três lugares cimeiros da I Liga; sim, faz falta um programa dedicado todas as semanas a uma modalidade amadora, com reportagens, perfis de atletas e treinadores, dirigentes e apoiantes, com debates, análises e etc.

Não há dúvida: o serviço público de televisão já faz muito pelo desporto e não apenas pelo desporto-espetáculo. Mas o desafio é esse: melhorar o que já se faz e inovar sempre.

Veja o episódio completo aqui