Voz do Cidadão

As coberturas das campanhas eleitorais realizadas pela RTP são sempre alvo de críticas por parte de vários telespetadores. Também nestas eleições europeias assim aconteceu. O Voz do Cidadão analisou em detalhe o que foi feito nos telejornais emitidos durante a campanha e concluiu que a televisão pública tinha feito uma cobertura dentro dos princípios da legalidade e com atenção à diversidade das formações políticas candidatas a um lugar em Estrasburgo.

No Bom Dia Portugal fala-se de tabaco e não era suposto. La Banda tem canções em inglês e nem todos acham bem. O Dia Mundial do Teatro não deu direito à emissão de nenhuma peça. E a série Dois Minutos para Mudar a Vida só recebe elogios. Já a emissão de extratos do vídeo do massacre na Nova Zelândia levantou dúvidas a mais de um telespetador.

A RTP dá voz e palco a pessoas que se apresentam como conhecedoras de práticas que melhoram a saúde, o bem-estar e o equilíbrio de quem as seguir. Mas não o fazem no âmbito científico comprovado ou comprovável. E muitos são os que condenam tais procedimentos da RTP

Alguns telespetadores criticam o dinheiro que se gasta em programas realizados no estrangeiro. Entretanto. a rede de correspondentes residentes nas principais capitais do mundo é cada vez mais residual.

A RTP não pode nem deve usar algumas das estratégias de que se socorrem outras estações para aumentarem a suas audiências. Do Serviço Público de Televisão espera-se outra estratégia, outra qualidade de programação orientada por critérios rigorosos e culturalmente relevantes.

Hoje temos mais consciência de que somos condicionados, usados e dependentes dos media. Mas a educação para o seu uso responsável e consciente é um processo sempre a precisar de reciclagem.

A realização do Eurofestival em Telavive está a motivar tentativas de boicote dos que se opõem à continuada política de agressão israelita. A polémica fez esquecer outra: a lançada pelos que não se revêm na canção portuguesa. Mas a Eurovisão é bem mais do que o festival.

A União Europeia prepara eleições parlamentares no mais grave e perigoso contexto desde o seu nascimento. Mas não é apenas ela que enfrenta desafios, a construção europeia é, ela própria, um desafio à criatividade e invenção da RTP para tratar de modo cativante a realidade e o futuro da Europa.

O programa Agora Nós vai sair de cena. Telespetadores movimentam-se para que tal não acontece, mas diretor de programas mantém a sua opção: dar lugar a novo programa…

O cinema tem cada vez menor presença na RTP e uma presença progressivamente mais escondida. Mas a televisão pública continua a deter importantes responsabilidades no que diz respeito ao cinema.

No aniversário da RTP propomos uma viagem pelo sítio RTP Arquivos que está aberto a quem o queira visitar sem ter de sair de casa.