Padre jesuíta. É confessor de Maria Ana, a Rainha.

É um homem bastante ambicioso cujos principais objectivos são dinheiro e poder. Sabe que a sua posição junto da Rainha lhe conferem o que pretende e, por isso, mantém-se leal a ela. Sabe, também, que Maria Ana confia muito em si e, por isso, zela para que a Rainha consiga, também ela, tudo o que pretende. Por isso, não se inibe de se disponibilizar totalmente para toda e qualquer tarefa ou missão que Maria Ana decida pôr nas suas mãos. Assim, António é um padre que não tem qualquer problema de consciência em fazer o trabalho sujo de que é incumbido pela Rainha, mesmo que isso implique o sofrimento de outras pessoas, um sofrimento, por vezes, atroz.

É através de António Stieff que a Rainha obtém informações sobre Paula e é também através dele que Maria Ana inflige punições à freira. António será os olhos da Rainha para seguir ao pormenor todos os movimentos, atitudes e relações de Paula – nomeadamente, a relação dela com o Rei – e as mãos dela em todos os actos perpetrados contra a freira, alguns deles extremamente cruéis.