Bruno Miguel Rosa
Idade:
29 anos
Localidade: Lisboa
Talento: Acrobacia aérea
Profissão: Acrobata/Performer

Descreva numa palavra o motivo da participação no programa?
Desafio.

Como se descreve?
Sou um apaixonado. Apaixonado pela vida. Pelo meu marido. Pela minha irmã. Pelos meus animais. Família. Amigos. Trabalho. E por muita comida. Amo viajar e conhecer novas pessoas. Estou aqui sempre e gosto de sentir que estão para mim também! Gosto da saudade! Gosto de me desafiar e o rigor faz parte do meu lema. Como acredito que todos tivemos outras vidas, acredito também que é aqui que me inspiro quando estou no palco. Quando crio. São estas, as minhas viagens pessoais, que me fazem vibrar e voar pelo mundo. Adoro chocolate e boa música. Passo os dias a tirar fotografias. Também gosto que me tirem! Sou curioso. Gosto de aprender. Estou a tirar a carta e espero um dia ter um carro cheio de filhos a gritar. Gosto de dormir uma manhã. Ou duas. Ou todas! Celebro o amor, todos os dias!

Quais são os seus hobbies?
Treino diário (ou ginásio ou treino de acrobacia). Cuidar da casa. Dos meus animais. Namorar. Viajar (muito). Comer. Fotografia. Séries. Filmes. Produzir.

Qual é a sua principal qualidade?
Generosidade.

E o principal defeito?
Teimosia.

Durante a sua atuação na audição o que foi mais difícil?
Para mim foi um dia gigante. Tudo parecia não ter hora para acabar. Deitei-me às 03h da manhã em Paris e às 06:30h ja estava a caminho do aeroporto. Cheguei a Lisboa às 11h e fui directo para o Coliseu. Comer, entrevistas, VTs, ensaios, aquecimento e audição. Todo eu era uma pilha de nervos e cansaço. Mas aconteceu e vale tão a pena no fim do dia.

Qual o comentário do júri que mais gostou de ouvir?
De todos. O Manuel por ter realçado o meu profissionalismo no palco. O que sabe sempre bem ouvir. A Cuca por ter falado da minha expressão corporal e ter dito que tenho uma das “linhas” mais bonitas que ja viu. Saí completamente babado e a sentir que o trabalho que tenho vindo a fazer está a valer a pena. A mesma sensação com o comentário do Manuel. E o Tochas fez o que mais gosto que me façam: desafiar-me a arriscar mais! E isso tem um bom efeito em mim.

Qual dos jurados é mais difícil de impressionar?
Qualquer um dos três.

Acha que tem tudo para ser o Grande Talento de Portugal?
Sim. Caso contrário não estaria aqui!

O que espera ganhar com a sua participação no programa?
Acima de tudo estou criar um desafio no meu dia-a-dia. Quero chegar longe e farei de tudo para isso. E claro, para além do prémio final, que seria INCRÍVEL, gostava de chegar a todos os portugueses. O circo e artes do espectáculo precisam de mais voz. Somos tantos, tantos tão bons e com tão pouco! Precisamos de nos unir e voar mais alto. Mas aqui, que é a nossa casa. O nosso país!

 

Bruno Rosa é natural de Alverca do Ribatejo. Fez teatro dos 10 aos 15 anos. Inscreveu-se no Chapitô por influência de uma amiga e fez o curso profissional de circo. Desde então nunca mais parou. Já trabalhou em Espanha e viajou pelo mundo inteiro durante seis meses. Fez espetáculos em casinos, trabalhou com Filipe La Féria, foi para França e por lá ficou, já que é onde trabalha atualmente. Vive em Portugal e trabalha fora. Orgulha-se de ter experimentado de tudo e ter encontrado a sua linguagem a nível artístico. Orgulha-se também de nunca ter desistido da carreira e de ter batalhado por ela.