Estreia: Sábado, 5 de Outubro às 22:15, na RTP2

A história de uma artista excecional, livre e transgressora, uma das melhores bailarinas e coreógrafas de Flamenco

 

Diante de nós coloca-se um dilema vital: há vozes que fazem avançar o mundo e outras que o sufocam e impedem de mudar. Temos de decidir, a cada dia, que vozes escutamos. Sara Baras (San Fernando, Cádiz, 1971), exemplifica ao longo da sua vida e obra este dilema universal. Artista transgressora, livre, adorada e questionada dentro de um mundo tão tradicional como o do Flamenco, enfrenta na sua maturidade a criação de um espetáculo sobre este debate: arriscar ou vergar-se perante um mundo cinzento.

Em três semanas, cria Voces dedicado àqueles artistas que foram revolucionários e criticados na sua época, e ainda hoje o são. Uma celebração a Paco de Lucía, Antonio Gades, Camarón de la Isla e Enrique Morente. Tudo com um valor universal (trabalho, liberdade, alegria, inconformismo) aplicável à vida de qualquer pessoa.

 

 

Durante a digressão mundial do espetáculo pela França, México, Japão e Estados Unidos, conhecemos Sara Baras, a sua arte, a sua personalidade, os seus valores e descobrimos, muito para além do flamenco, que cada um de nós deve decidir, no seu dia-a-dia, que vozes escuta, se sucumbe ao mundo estabelecido ou decide mudá-lo.

Sara Baras foi galardoada com o Prémio Nacional de Dança 2003,  o Prémio Flamenco Hoy para a melhor bailarina de 2007, atribuído pela associação de críticos de flamenco, e ainda com o Prémio APDE (Associação de Professores de Dança Espanhola), em reconhecimento pelo seu trabalho em prol do ensino e da divulgação da dança, entre outros galardões.

 

Ficha Técnica

Título Original

Sara Baras - Todas las Voces

Ideia Original

Victor Charneco

Autoria e Realização

Pepe Andreu e Rafa Molés

Fotografia

Jose Luis Gonzalez

Edição

Pepe Andreu e Monica Zamora

Música

Lucendo e Alberto R.

Produção

Nadie es perfecto, Blindspot, Saba Danza | IVAC, Suica Films

Ano

2017

Duração

90'

Relacionados