Isabel é uma mulher de 45 anos, professora de português da escola do estabelecimento prisional há 15 anos.

Apesar de sonhadora, esta personagem é sensata, objectiva e muito realista. Tornar-se-á a principal confidente e amiga de Pedro, chamando este à razão quando os sentimentos e utopias tomam conta do seu discurso, sendo de uma forma camuflada a sua principal aliada em situações difíceis.