A competição no atelier de costura mais badalado do país continua.  Esta semana, o primeiro desafio, de molde, foi o mais complexo de sempre. Em apenas cinco horas, os costureiros amadores tiveram de confecionar uma jaqueta ao estilo da criada por Coco Chanel. Para inspirar os costureiros, o atelier recebeu uma visita, Eduarda Abbondanza, diretora da Moda Lisboa.

Ao molde original tinha de se fazer a aplicação de um fecho à frente, mas para Rita – autora da peça da semana anterior – houve uma vantagem: pôde optar por aplicar colchetes e não fecho. Para além disso, Rita pôde ainda escolher mais cinco colegas para ficarem livres desta missão.

Apesar de alguns estarem livres do fecho, a verdade é que as autoras dos melhores casacos não gozaram de nenhuma vantagem: Jana e Carla foram as costureiras a apresentar os melhores modelos.

No entanto, esta semana não houve alfinetes dourados e todos enfrentaram a segunda prova.
Maria da Fé, Sara e Sílvia partiram frágeis para este segundo desafio, uma vez que não convenceram os jurados com os casacos que costuraram.

A prova de transformação trouxe uma grande novidade: os concorrentes tiveram de customizar um par de ténis brancos.

Apesar de parecer simples, a prova revelou-se complexa. Rita voltou a brilhar com a sua criatividade e Eduardo impressionou com a sua criação, que Paulo Battista gostaria de usar.
Sara não convenceu os jurados e abandonou a competição nesta quarta semana.