Chegou a grande final do Cosido ao Mão, e no feminino! Carla, a nortenha determinada, Jana, o furacão do Leste, e Rita, a alfacinha criativa, chegaram à final da primeira grande competição de costura em Portugal.

Da esq. para a direita: Carla, Jana e Rita

Para encontrar a vencedora, os jurados prepararam duas provas dignas de uma final: um desafio de molde onde tiveram de confecionar uma peça para a mulher mais importante das suas vidas e um feito à medida para uma das caras mais queridas da RTP.

No desafio de molde, tiveram de fazer uma camisa de folhos. Jana teve como modelo a sua filha mais velha, Carla e Rita as respetivas mães.

Rita perdeu alguma vantagem na corrida à vitória neste desafio, uma vez que não colocou os folhos. Jana conseguiu terminar a camisa, mas com alguns defeitos.

Para a última prova, Catarina Furtado e Nuno Baltazar juntaram-se à competição: a musa e o criador foram o ponto de partida para o último desafio em que se pretendia que fizessem um vestido de noite para a apresentadora da RTP.

Da esq. para a direita: Paulo Battista, Catarina Furtado, Sónia Araújo, Nuno Baltazar e Susana Agostinho

Rita e Carla avançaram para lantejoulas: Rita ousou com uma construção criativa, Carla teve mais dificuldade em dar um cunho pessoal ao vestido. Nuno Baltazar aconselhou Rita a não “voar” tanto e pediu a Carla para “voar” mais. Jana sentiu-se derrotada na prova, teve alguma dificuldade em criar uma peça original e deu-se por vencida. No entanto, Catarina e Nuno valorizaram o vermelho escolhido pela candidata.

Nos minutos finais da prova, Rita deparou-se com grande dificuldade: queria construir um vestido sem alças, mas viu-se obrigada a aplicar uma à última hora. Apesar dos contratempos, missão cumprida para três costureiras: três vestidos de noite surpreendentes que agradaram a Catarina Furtado e Nuno Baltazar. A convidada experimentou os vestidos e foi apurado qual o mais perfeito.

Por todo o seu percurso, sucesso e talento, Carla sagrou-se vencedora da primeira edição do Cosido à Mão!