O peixe é o elemento principal da gastronomia sesimbrense. As formas de o confecionar são diversas e variam consoante as espécies. As mais apreciadas derivam de antigos costumes dos homens do mar. É o caso da famosa caldeirada, massada, açordas ou sopas de peixe, pratos feitos a bordo, onde havia uma “caldeira”, em que à água devidamente temperada se juntava algum do peixe que se apanhava, batatas, massa ou o pão duro. O resultado servia de alimento durante a faina.

A forma mais genuína e popular de apresentar o pescado é, no entanto, grelhado. Para além de lhe conferir um sabor único, espalha pelo ar aromas inconfundíveis, muito caraterísticos na vila de Sesimbra. O processo é simples: o peixe, inteiro, à posta ou escalado, é salpicado com sal grosso, colocado numa grelha pincelada com óleo que, por sua vez, é posta sobre a brasa. Mas há “segredos” que só os “assadores” mais experientes dominam: a distância do lume, o tempero ou o tempo. Hoje, inspirados nas receitas tradicionais, muitos restaurantes apresentam pratos com novas abordagens, dando sempre preponderância ao seu sabor e frescura.