Dionísio questiona Aníbal devido ao seu carro ter sido visto no hospital quando Emílio desapareceu.

Com receio de ser apanhado, Artur manda outro empregado matar o Aníbal. A “falta de subtileza” fez com que os seus serviços deixassem de ser necessários.