Filha de Miguel e Lídia Napoleão. Irmã de Marta.

A traquinas da família e da aldeia das Flores. Uma força da natureza, com uma energia inesgotável. Hiperativa. É uma líder nata, mete-se em todo tipo de confusões. Nunca está quieta, tem sempre um plano em execução. As beatas costumam acusá-la de ter o diabo no corpo. Aluna mediana, não por falta de inteligência, mas porque acha que estar parada durante horas numa sala de aula, é pura perda de tempo quando tem um mundo de aventuras para viver.

Está sempre um passo à frente em tudo: durante as aulas pensa nas férias, durante as férias, planeia tudo o que vai fazer nos dias seguintes. Quando acorda está pronta para se atirar de cabeça no que pensou, mas o dia é sempre uma incógnita. Todos os seus planos são aventuras que deixam a sua mãe com os cabelos em pé. Quando Lídia segue no seu encalço, não há uma pessoa na aldeia que não a tenha visto mas quando Lídia chega ao local indicado ela nunca está lá, pois já seguiu para a aventura seguinte. Há dois anos, ia sendo raptada por um homem que a drogou com clorofórmio e a enfiou numa carrinha. O raptor foi apanhado na fronteira com Espanha e Jasmim devolvida à família. Parece que o fenómeno não deixou sequelas mas ao longo da trama iremos descobrir que isso não é bem verdade. É uma ginasta nata, faz ginástica acrobática e quando o circo chega à aldeia é a euforia total. A sua cabeça entra em erupção só de imaginar tudo o que vai viver nessas férias perfeitas…

E irá  descobrir que, em si, esconde-se uma sensibilidade e uma capacidade de ver para além do real que ela nunca imaginou possuir.